A Torre Negra: Nasce o Pistoleiro #03

Título Original: The Dark Tower: The Gunslinger Born #03
Título Traduzido: A Torre Negra: Nasce o Pistoleiro #03
Publicação: 04/04/2007
Publicação no Brasil: 01/06/2008
Série: A Torre Negra
Arco: Nasce o Pistoleiro
Edição: 03 de 07
Número de Páginas: Aproximadamente 30
Personagens: Roland Deschain, Cuthbert Allgood, Alain Johns, Susan Delgado
Editora: Marvel Comics
Equipe Criativa: Peter David e Robin Furth (Roteiro) / Jae Lee e Richard Isanove (Arte)
Arte de capa: Jae Lee

Na terceira edição deste arco, Susan Delgado conhece Roland Deschain, e na melhor concepção possível, ocorre o famoso “amor à primeira vista”; entretanto, isto não impede que Roland se apresente com um nome e propósito falsos. O pistoleiro resolve acompanhar a moça de volta à Hambry, e no caminho acaba topando com “uma floresta esquelética de estruturas metálicas”, chamada Citgo. Lá, Roland escuta o horripilante lamento da Lúmina (que será importante mais tarde). Finalmente chegam, e se despedem com um beijo.

Enquanto isso, somos apresentados ao famoso John Farson (ou carinhosamente apelidado por muitos de “cabeça de abóbora”), o Homem Bom, demostrando suas habilidades de decapitação e tiro ao alvo. Então Marten Broadcloak aparece, e esse é o sinal que a coisa fedeu.

De volta à Hambry, Roland e seu ka-tet chegam à Seafront, casa do prefeito Thorin (não, não é o Escudo de Carvalho), onde são recepcionados por Eldred Jonas, e o xerife Avery (além do próprio prefeito), mas Roland, como o garoto sagaz que é, não está prestando atenção neles, e sim em Susan, a quem viu no interior de Seafront. O ka-tet de Roland está atento, e percebe que o rapaz está ficando “xonadinho” por Susan (assim como o faz Eldred Jonas). O jovem pistoleiro fica chocado ao perceber que Susan não passa de uma concubina do prefeito Thorin, e a trata com frieza.

Para mim, essa é a segunda parte favorita desta edição (perdendo para o que acontece a seguir). Quando lemos um livro, conseguimos imaginar a cena se passando, para que processemos e aproveitemos melhor a história. Aqui, mesmo que a HQ tenha as imagens, eu consegui visualizar perfeitamente Roland em Seafront, com todos os convidados, e os músicos tocando. Em outras palavras, o gibi pareceu vivo em minhas mãos, o que é um resultado que não se consegue com frequência.

Cuthbert

Cuthbert Allgood

Voltando à história, somos apresentados a dois elementos importantes na história de Roland de Gilead. O primeiro é um grupo de vilões, chamado Caçadores do Grande Caixão, que estão às ordens de John Farson. O segundo, é o pequeno Sheemie, um pobre rapaz empregado no Repouso dos Viajantes, que, diríamos, é “bobinho” (como King adora dar poderes aos personagens mais inocentes, não?). Eis que ocorre uma confusão, e o pequeno Sheemie acaba derrubando mijo de camelo (é, isso aí) em cima de Roy Depape, que tenta humilhar o garoto ao fazê-lo lamber suas botas meladas. Entretanto, surge Cuthbert, que com sua agilidade, acerta uma bolinha de metal com um estilingue na mão de Depape. É aí que acontece a seqüência mais memorável desta edição: por trás de Cuthbert surge Clay Reynolds com uma arma… só que atrás de Clay surge Alain com um punhal… mas atrás de Alain surge Eldred Jonas com uma pistola… e pra completar o trenzinho da alegria, Roland aparece atrás de Jonas. Mas, então a diplomacia vinga, todo mundo aperta as mãos, e se despede (é menos ilógico se você ler a HQ, eu prometo); só que os três rapazes sabem que a história não acabou, e eles estão certos, porque Eldred Jonas jura vingança contra eles.

Mais uma excelente edição, a qualidade começa a crescer a cada gibi que passa, e dá ao leitor um prazer a mais de ir conhecendo o visual dos inimigos e amigos de Roland. É bastante interessante ver os dias passados de Roland, principalmente pela ótica de pessoas tão talentosas quanto o pessoal da Marvel. Posso dizer que gostei muito (embora tenha ficado decepcionado com alguns arcos vindouros), e que está é uma das melhores edições do arco. Semana que vem tem a crítica da edição 4, até lá.

Resenha por: Boni

Edilton Nunes

Edilton Nunes

Graduado em Letras pela UEG (Universidade Estadual de Goiás), viciado em literatura de terror/suspense, amante incondicional de séries e Hq´s e fã de carteirinha do mestre Steve há pelo menos 20 anos.

More Posts - Website - Twitter

You can skip to the end and leave a response. Pinging is currently not allowed.

Deixe seu comentário