“O Iluminado”: Ouça a produção completa da “Minnesota Opera”

oiluminado

Em maio deste ano o Minnesota Opera apresentou a estreia mundial do espetáculo The Shining, baseado no livro homônimo de Stephen King. A ópera recebeu boas criticas e o sucesso de público foi imediato. Agora, em cooperação com o Minnesota Opera, A Rádio Clássica Minnesota Public disponibilizou o streaming em áudio completo do espetáculo até o dia 30 de Novembro. Composta por Paul Moravec com libreto de Mark Campbell…a obra é uma adaptação autorizada do clássico de 77 cuja história sobre uma família vivendo em um hotel mal assombrado já é bem conhecida por nós. Entretanto, diferente do filme de Kubrick, pelo qual muitas pessoas (até mesmo aqueles que não acompanham o trabalho de Steve de perto) ficaram conhecendo a obra, a adaptação em formato de ópera é muito mais próxima do clássico original. Você pode ouvir o áudio na integra, clicando aqui, mas para facilitar a compreensão, segue também um guia, cena por cena, da ópera completa, feito pelo produtor Jay Gabler:

.

.ATO I

Cena 1: Fora do Overlook Hotel (00:00)

cena01

É novembro de 1975. Jack e Wendy Torrance chegam ao Overlook Hotel, no alto das Montanhas Rochosas do Colorado, com o seu filho jovem Danny. Jack e Wendy cantam sobre suas esperanças de melhorarem o relacionamento familiar enquanto ficarão hospedados no hotel onde Jack vai trabalhar como zelador enquanto ele escreve uma peça de teatro que ele está planejando.


Interlúdio 1: Bem-vindo ao Overlook (5:21)

O Overlook Hotel aparece – ameaçadoramente.


Cena 2: Excursionando o hotel (06:34)

cena2

Sr. Ullman, o gerente do hotel, apresenta a família ao lugar – comentando sobre as comodidades do hotel e seu passado histórico.

Enquanto o Sr. Hallorann, cozinheiro do hotel, mostra a cozinha para Wendy e Danny, Ullman chama Jack de lado. Insinuando sobre “uma tragédia terrível” no passado do hotel, Ullman diz a Jack que ele está preocupado com a história de Jack sobre o alcoolismo e um incidente de violência escolar. “Os invernos aqui são cruéis”, diz Ullman. “A Solidão cobra um pedágio.” Jack diz para Ullman que ele não trouxe qualquer tipo de álcool, então não há nada com o que se preocupar.

Enquanto isso, Hallorann está virando amigo de Danny. O cozinheiro chama ele de “Doc” e Wendy pergunta como Hallorann sabia que aquele era um apelido que ela e seu marido usavam para Danny. Hallorann dá de ombros. “Ele se Parece um ‘Doc’, eu acho.”

O zelador, Sr. Watson, mostra a Jack como usar a caldeira hotel – observando que a caldeira precisa ser esvaziado duas vezes por dia, ou “você e sua família serão mandados para o espaço.” Jack percebe que o porão também contém documentos do passado do hotel, e pede informações a Watson sobre o incidente mencionado por Ullman.

cena3

Watson menciona alguns incidentes escandalosos. Um ex-zelador – Delbert Grady – atirou em sua esposa e duas filhas antes de tirar a própria vida. Sra Massey se matou na banheira depois de um jovem amante a abandonou. Um senador morreu vestindo um sutiã e calcinha.

Na varanda, Hallorann diz Danny que ele percebeu o talento do menino de precognição. Hallorann diz que ele tem isso também, assim como sua avó, que chamou de “iluminação”. Ele pede a Danny para “pensar tão forte quanto ele conseguisse” e ataca-lo com sua mente. Hallorann é soprado por trás pela força da mente de Danny, e adivinha que Danny tem pesadelos terríveis. Como Jack e Wendy compartilhavam um momento romântico, Hallorann diz Danny que, se ele se ver em apuros, entre em contato com ele daquela forma e ele poderá ouvi-lo. Os funcionários do hotel partem para o inverno com Jack assegurando-lhes que não há “nada para se preocuparem.”


Interlúdio 2: Quarto 217 (22:21)

cena4

Danny está andando pelo hotel, até ele faz uma pausa no quarto 217. De repente ele sente algo estranho e foge. Enquanto isso, Jack trabalha em sua peça e Wendy tricota feliz.


Cena 3: Tempo da família (23:22)

Wendy lê para Danny, então diz que é hora de dormir. Observando Danny abraçando Jack boa e desejando boa noite, Wendy se lembra de como ela nunca deixou de amar Jack, mesmo em seus “momentos mais difíceis”, quando Jack bebia e perdeu o emprego. Jack e Wendy flertam, amorosamente.

De repente, Wendy descobre que Danny se trancou no banheiro. Jack, primeiramente impaciente por ter sido interrompido enquanto escrevia, em seguida, compartilha do alarme de Wendy e quebra a porta. Os pais de Danny encontram o menino no chão do banheiro, aterrorizado e espumando pela boca. Jack sacode seu filho e Wendy pede a Jack para não machucar Danny – “Como você fez antes”.

“Quantas vezes eu tenho que pedir que me perdoe por quebrar o braço dele?” pergunta Jack, frustrado.

Enquanto Wendy coloca Danny na cama, Jack tem uma visão de seu próprio pai, ensinando ao jovem Jacky “uma lição”, batendo-lhe com um bastão na hora de dormir. “Papai, pare!” chora Jack, “Você está machucando mamãe”.

cena5

Quando Danny finalmente está prestes a cair no sono, ele tem duas perguntas: “Papai, você nunca iria machucar mamãe, não é?” Também: “O que é redrum?” Wendy brinca que “soa como uma bebida pirata”, e os dois pais deixam Danny dormir. O menino está inquieto.


Cena 4: No Porão (35:45)

Cuidando da caldeira no porão, Jack começa a olhar os papéis históricos. Entre os incidentes passados, ele lê sobre um “banho de sangue estilo gangues” ocorrido em 1966 na Suíte Presidencial do Overlook. Ele também lê sobre os assassinatos de Grady, e um suicídio em 1973. Quando Jack descobre um convite para um baile de inauguração de 1945, ele pisca de volta ao baile de máscaras.

“Aqui está a história”, Jack sussurra, “a história real.” Prometendo “mandar a peça se danar” e contar a história trágica do Overlook, Jack é surpreendido por um ruído inexplicável. No canto, um bastão de croquet brilha ameaçadoramente.


Cena 5: Mãe e filho (44:06)

Voltando de um exame médico, Danny o e sua mãe falam sobre Jack. “O hotel está dentro dele”, Danny avisa sua mãe – que diz a seu filho para ser forte.

cena6

Jack entra, de bom humor, surpreendendo sua família com um “Boo!” Wendy passa algumas informações sobre Danny e seu estado de saúde, então percebe o álbum de recortes de Jack trouxe do porão. Jack diz a Wendy que ele está deixando a peça que estava escrevendo de lado para se concentrar na história do hotel.

Wendy diz a Jack que ela está reconsiderando a sua estadia no hotel. Insistindo que eles têm que ficar, Jack, no entanto, concorda que não há razão para preocupação com Danny. “Se alguma coisa acontecesse com vocês dois”, diz Jack, “Eu nunca poderia viver comigo mesmo.”

Depois de um beijo quente entre o casal, Wendy sai para fazer o jantar.


Interlúdio 3: De volta ao 217 (50:08)

Danny mais uma vez se aproxima quarto 217. Ele escuta algo na porta, então foge. Enquanto isso, Jack investiga os recortes de jornal e Wendy termina o lenço que ela está tricotando.

cena7


Cena 6: Um bastão… (51:10)

Quando o elevador faz um ruído inesperado, Jack vai investigar – ignorando Wendy quando ela lhe pede para ficar com o resto da família. “É o meu maldito trabalho, Wendy”, diz ele. “Quando você vai entender isso?”

Jack olha em volta do hotel, não encontrando nada fora do comum – até que ele chega ao salão de baile, que parece vivo, aparentemente cheio de garrafas. Jack nervosamente balança um bastão de croquet, quando a visão termina.

Trazendo o bastão de volta para os aposentos do zelador, Jack diz a Wendy está tudo bem, mas ela está se sentindo insegura. Ele retruca, dizendo que ela está preocupada atoa e que ele precisa para voltar ao trabalho. Wendy vai ao quarto de Danny para confortar o garoto, enquanto Jack, agitado, retorna à sua máquina de escrever.


Interlúdio 4: Dentro do quarto 217 (56:50)

Danny volta ao quarto 217, desta vez com uma chave. Ele entra na sala, onde ele encontra uma banheira com uma cortina de chuveiro. De repente, uma mulher nua com carne podre agarra a mão de Danny e empurra para trás a cortina do chuveiro. Quando Danny luta para se libertar, as luzes se apagam.

cena8


Cena 7: Fechem as portas (57:46)

No escritório do hotel, Jack liga o rádio para ouvir um aviso de que há uma “tempestade de neve dos diabos” no seu caminho. Jack gostaria de ter uma bebida.

De repente, a voz do radialista muda para a voz do pai de Jack, que exorta seu filho para matar sua esposa e neto. Jack, chocado, destrói o rádio com o bastão. Wendy entra e Jack tenta explicar sobre o “sonho”. Em seguida, ambos percebem que seu filho está sumido. Quando eles abrem a porta do escritório, Danny está de pé do outro lado – molhado e coberto de hematomas. “A senhora morta me beijou”, diz Danny, enquanto seus pais brigam sobre qual deles pode ter abusado do menino. Wendy diz que a família tem que sair dali, mas Jack observa a nevasca se aproxima e jura proteger sua família.

cena9

Um coro de fantasmas aparece. A bartender está pronta para oferecer a Jack uma bebida, enquanto Delbert Grady diz que suas filhas precisam de um “corretivo”. Sra Grady fica chocada ao encontrar suas meninas mortas e os foliões se preparam para tirarem as máscaras. A socialite Sra Massey tenta cortejar sua amante de volta para a cama, enquanto um senador crossdressing promete proteger as crianças da “decadência moral”.

“Hallorann”, chama Danny, “venha rápido!”

cena10

ATO II

Cena 1: Jack desvenda (65:14)

Jack, que parece já ter visto dias melhores, vai para o porão verificar a caldeira. Ele comenta sobre deixar o hotel. “Eles poderiam começar uma nova vida”, diz ele, “uma nova vida sem mim – que é o que eles querem de qualquer maneira.”

cena11

Um fantasma de terno, Grady, convida Jack a “participar da festa.” Jack acusa Grady de um triplo homicídio. Grady nega qualquer conhecimento sobre tal ato, mas sugere a Jack que talvez Danny e Wendy precisem de um “corretivo”.

Jack inicialmente resiste, mas finalmente concorda que “nós, maridos e pais temos responsabilidades” e suas esposas e filhos “devem encarar seus erros e terem seus caminhos iluminados”.


Cena 2: alimentos Desconforto (72:26)

Na cozinha do hotel, Wendy serve leite e biscoitos para Danny, tranquilizando o menino de que os guardas do hotel aparecerão em breve. De repente, Danny tem uma visão e declara (dublado por um coro) que “as pessoas no hotel” possuíram Jack. Wendy diz ao filho para ser corajoso e vai para o salão de baile para verificar Jack.

“Esse vento”, diz ela, sobre as rajadas da tempestade. “Isso nunca vai parar?”


Cena 3: Tomando a atitude (78:20)

cena12

Jack chega ao salão de baile, onde ele encontra Lloyd, o barman, esperando com um bar totalmente abastecido. Ele pede uma dúzia de bebidas e Lloyd oferece um brinde para Danny.

De repente, o salão ganha vida com uma festa completa, com um homem em uma máscara de cachorro. Jack se instala para desfrutar das festividades, como um coro de partiers a cumprimentá-lo. Grady, Lloyd, Mark, e Derwent (fundador do hotel) cantam uma homenagem a Jack – que se junta a eles, até que os fantasmas desaparecem e Wendy entra.

cena13

Jack agarra a perna de Wendy, ameaçando machuca-la e dizendo “você nunca me amou”, que “você virou Danny contra mim.” Ele pega sua esposa pelo pescoço, e ela está com falta de ar quando Danny entra e grita para seu pai parar. Wendy consegue agarrar uma garrafa, quebrando-a na cabeça de Jack.

cena14

Wendy diz para seu filho que eles precisam levar o papai para onde o hotel não possa machucá-lo. Denny concorda e os dois o levam para longe dali.


Cena 4: Preso (87:00)

Jack acorda na despensa, para onde Wendy e Danny o arrastaram. (Danny: “É hora de dormir, papai”), como Jack amaldiçoa os dois, Wendy deixa claro para Denny que é apenas o hotel falando e pega uma faca para a proteção.

cena15

Depois que a mãe e a criança saem, Grady aparece e repreende Jack por não ter completado o serviço. Depois de Jack jura que vai “cuidar deles”, e Grady mostra que há uma trava de segurança permitindo que Jack saia. Jack escapa, agarrando o bastão de croquet.


Cena 5: Vá peixe! (90:55)

Wendy e Danny estão jogando cartas, acreditando que eles estão a salvo de Jack. Danny está preocupado, e Wendy lhe assegura “que o homem preso na despensa não é o seu pai.”


Cena 6: Batalha no salão de baile (92:38)

cena16

Wendy entra no salão e é hostilizada pelas irmãs Grady, o senador crossdressing, e … Jack! “Pensei que você poderia me enganar”, diz Jack pserguindo a esposa com o bastão.

“Perdoe-me”, diz Wendy enquanto ela apunhala o marido com a faca. Um fantasma aparece, dizendo que eles estão tendo uma ótima festa. Jack, com a faca ainad em suas costas, corre atrás de Wendy.

cena17


Cena 7: uma parte externa (94:40)

Wendy se esconde em um dos quartos. Jack bate na porta com o martelo. Grady e Derwent dizem Jack resolver isso depois e cuidar primeiro do menino, pois Danny convocou “uma ajuda externa.” Um snowcat é ouvido lá fora, e Wendy assume que é o amigo de Denny.


Cena 8: Hallorann está aqui (96:06)

Hallorann entra no salão de baile, chamando por Wendy e Danny. O menino grita um aviso para Hallorann, mas Jack bate no cozinheiro com o bastão e começar a perseguir Danny.

“Você não é meu pai”, insiste. Embora Jack continue a ameaçar o garoto, Danny lembra ao pai de seu amor. Enquanto tenta resistir, Jack diz para Danny fugir.

cena18

Como Danny foge, os fantasmas dizem para Jack que estão desapontados com ele. Eles lembram que ele se esqueceu de esvaziar a caldeira, e ele foge. Como um coro inicia-se uma contagem regressiva, os fantasmas parecem otimistas de que a carnificina ainda pode acontecer: “Não pode haver esperança para você depois de tudo!”


Cena 9: Corra! (100: 10)

Wendy e Danny retornam ao salão de baile, e Hallorann – recuperando-se do golpe Jack – diz que todos têm que sair imediatamente. “A caldeira!” chora Danny.


Cena 10: Vamos explodir essa coisa (100: 30)

cena19

Vapor enche o porão a medida em que a pressão aumenta. Jack está diante da caldeira, recusando-se a tomar medidas, os fantasmas avisam que sua família não está longe demais para escapar da explosão. “Eu tenho medo que seja tarde demais, senhores”, diz Jack, que diz à família que os ama quando o hotel enche-se de chamas.

cena20


Cena 11: Epílogo (102: 57)

Nove meses se passaram. Danny pesca em uma lagoa, enquanto Wendy está sentada na varanda de uma cabana lendo um livro. Hallorann entra. “Não é como o Overlook”, observa ele, “mas é legal ser o cozinheiro aqui”. Wendy diz que Danny ainda está tendo pesadelos, mas Hallorann garante a ela que o menino vai ficar bem.

Hallorann vai sentar-se com Danny, que admite que sente falta do pai. O cozinheiro diz para Danny que ele precisa ser forte para sua mãe.

Quando um peixe puxa na linha, Danny repete seu apelo para Hallorann para vir rápido. “Você está indo muito bem sozinho”, diz o cozinheiro. “Muito Bem.”

cena21

CRÉDITOS

Compositor: Paul Moravec
Libretto: Mark Campbell

Condutor: Michael Christie
Diretor de palco: Eric Simonson
Coreógrafo: Heidi Spesard-Noble
Cenário e propriedades de design: Erhard Rom
Animação e design de projeção: 59 Productions
Trajes: Karin Kopischke
Projeto de iluminação: Robert Wierzel
Design de som: C. Andrew Mayer


ELENCO

Jack Torrance: Brian Mulligan
Wendy Torrance: Kelly Kaduce
Danny Torrance: Alejandro Vega
Dick Hallorann: Arthur Woodley
Mark Torrance: Mark Walters
Delbert Grady: David Walton
Horace Derwent: Alex Ritchie
Lloyd: John Robert Lindsey
Stuart Ullman: Robb Asklof
Bill Watson: Rick Penning
Sra. Massey: Shannon Prickett
Sra. Grady: Jeni Houser


RECURSO DIGITAL

Engenheiro de gravação: Zack Rose para a Rádio Pública de Minnesota
Editor de gravação: Kate Saumur para a Rádio Pública de Minnesota
Fotografia: Ken Howard para o Minnesota Opera
Fonte e postagem original: classicalmpr.org

Edilton Nunes

Edilton Nunes

Graduado em Letras pela UEG (Universidade Estadual de Goiás), viciado em literatura de terror/suspense, amante incondicional de séries e Hq´s e fã de carteirinha do mestre Steve há pelo menos 20 anos.

More Posts - Website - Twitter

You can skip to the end and leave a response. Pinging is currently not allowed.

Deixe seu comentário