Dica Literária da Semana: Odd Thomas – Dean Koontz

Título Original: Odd Thomas
Título Traduzido: Odd Thomas
Ano de Publicação: 2003
Ano de Publicação no Brasil: 2009
Personagens Principais: Odd Thomas, Stormy Llewellyn, Chefe Wyatt Porter, Homem-Fungo, Elvis Presley
Cidade da História: Pico Alto
Disponível no Brasil por: Editora Record (2009)
Adaptação: Uma adaptação do primeiro livro está sendo feita, com lançamento previsto para 2013.

Para quem não conhece, Dean Koontz é um autor norte americano nascido na Pensilvânia em 9 de Julho de 1945. Kontz adquiriu sucesso escrevendo livros de terror/suspense e é um autor que (sem querer menosprezar nosso querido King) vendeu mais do que Stephen King (cerca de 50/100 milhões a mais), escreveu mais que King (aproximadamente 20 livros a mais), mas, ironicamente (e por que não dizer, injustamente!?), ainda é bem pouco conhecido por aqui. Odd Thomas é um de seus livros mais conhecidos (na verdade trata-se de uma série composta por 4 livros, três deles já publicados no Brasil pela Editora Record) e narra a história do protagonista que dá nome ao primeiro livro, Odd Thomas.

“Meu nome é Odd Thomas. Mas não sei por que você se importaria comigo ou com minha existência numa época em que a fama é o altar venerado pela maioria das pessoas. […]”

Odd Thomas – Dean Koontz

Odd é um cara comum, que trabalha como cozinheiro em uma cidadezinha do interior da Califórnia. Além do excepcional talento com as chapas, sanduíches e grelhados, ele possui um dom que é, digamos… “pouco usual” entre as pessoas normais. Odd Thomas é capaz de ver os mortos (mais precisamente, as manifestações extracorporais – espíritos – deles). Com um senso de justiça extremamente apurado, Odd quase sempre usa seu dom para ajudar as estes espíritos a resolverem as pendencias que os mantém presos aqui na terra, para que possam, finalmente, descansarem em paz. Além dos mortos, Odd também é capaz de enxergar outras entidades do além, como os Bodachs, criaturas que aparecem sempre em lugares onde uma grande tragédia irá ocorrer. Certo dia, enquanto se ocupava com os pedidos de um dia tumultuado de trabalho, Odd acaba se deparando com um estranho sentado no balcão do restaurante, cercado por um número incomum de Bodachs, num prenúncio de que uma tragédia de proporções gigantescas estava por vir. Com a ajuda de um grupo de amigos ele passa a investigar o estranho, numa corrida frenética para impedir a tragédia prenunciada pelos Bodachs.

“Só quero dizer que minha vida não é típica. Coisas peculiares acontecem comigo com uma regularidade que não acomete as outras pessoas, se é que as acomete. ” 

Odd Thomas – Dean Koontz

Assim como “Velocidade”, outro ótimo livro do autor, o ritmo de “Odd Thomas” é leve, divertido e em alguns momentos quase frenético. Com uma mistura agradável de suspense e humor negro (o “melhor amigo” de Koontz é o espirito depressivo de Elvis Presley, o Rei do Rock, que transita pelas ruas de Pico Alto usando sempre uma roupa diferente) Koontz não se atem a detalhes superficiais na narrativa, baseando-se somente no essencial para o desenvolvimento da trama. Apesar disso, em momento algum a história beira a superficialidade, muito pelo contrário. Os personagens possuem suas angustias, seus temores, são divertidos, carismáticos e complexos, na medida do que se pode esperar em um romance do gênero… O próprio Odd é um exemplo de personalidade intrigante, que teria tudo para crescer como um maluco desmiolado, se não tivesse administrado tão bem o seu “dom” ao passo em que crescia (fatores agregadores não faltaram, já que sua mãe é mentalmente perturbada e seu pai é um cinquentão sarado, cheio da grana que não dá a mínima para o filho excêntrico.)

“(…) não estou escrevendo por dinheiro. Escrevo para recuperar minha sanidade, para descobrir se consigo me convencer de que minha vida tem propósito e significado que bastem para justificar minha contínua existência.”

Odd Thomas – Dean Koontz

Além do próprio Odd temos a sua namorada, Stormy Llewellyn, que é dedicada, fiel, mas também divertida e bem humorada (além de exercer um papel de suma importância para o desenlace da trama). Temos também sua vizinha, que precisa receber visitas diárias de Odd para ter certeza de que ela não ficou invisível (um outro nome inconsciente que ela deu para a morte), o Inspetor de policia, que ciente do seu “dom” sobrenatural, já trabalhou com Odd na captura de vários assassinos, e até mesmo uma amiga que sabe todos os detalhes da vida de Elvis (escolha um dia da vida do rei e ela lhe dirá exatamente o que ele vestia e onde estava).

Funcionando como uma alegoria que remete diretamente à força irrefreavel do destino, além de ser um romance sensível e bem humorado, “Odd Thomas” é divertido, intrigante e com um final supreendente, típico de grande parte dos livros de Koontz (como diria meu amigo Ednelson: “Koontz tem um sorriso que diz mais ou menos assim: Rá! Você lê os meus livros e sempre se surpreende no final!”). História mais do que indicada para os amantes do bom terror/suspense.

Quem quiser pode conferir mais informações sobre o livro (além de uma prévia do primeiro capítulo) na página oficial da Editora Record, clicando aqui.

Edilton Nunes

Edilton Nunes

Graduado em Letras pela UEG (Universidade Estadual de Goiás), viciado em literatura de terror/suspense, amante incondicional de séries e Hq´s e fã de carteirinha do mestre Steve há pelo menos 20 anos.

More Posts - Website - Twitter

You can skip to the end and leave a response. Pinging is currently not allowed.

2 Responses to “Dica Literária da Semana: Odd Thomas – Dean Koontz”

  1. André Romulo disse:

    Excelentes livros, podem ler os três que vale a pena ! Ps: Estou lendo Sob a Redoma, estou na pagina 500, muuuuito bom !

  2. Cristina Costa disse:

    Já li Koontz,vários livros,uns gostei mais,outros nem tanto… Pergunta: há alguma fuga dos personagens? já notei que,em alguns livros dele, os personagens fogem ,por vários motivos, o que torna suas histórias um pouco repetitivas…
    Mas,mesmo assim,ainda curto este autor!

Deixe seu comentário