Dica Literária da Semana: “Um Rio Muito Frio” – Michael Koryta

Título Original: So Cold The River
Título Traduzido: Um Rio Muito Frio
Autor: Michael Koryta
Ano de Publicação: 2010
Ano de Publicação no Brasil: 2012
Personagens Principais: Alyssa Bradford, Eric Shaw, Kellen, Anne
Local da História: Indiana
Número de páginas: 448
Disponível no Brasil por: Editora Record (2012)

Não é algo raro ver o nome de Stephen King associado a uma (ou várias) obra de terror. Na verdade, a ação de marketing é mais comum do que se possa imaginar, até mesmo com relação a outros autores de sucesso. Entretanto, são raros os casos em que as propagandas condizem com os comentários (na grande maioria deles nos deparamos com a frustração diante da expectativa, quando encontramos textos pobres e de qualidade, no mínimo, duvidosa). Felizmente esse não é o caso de “Um rio muito frio”, do autor norte americano Michael Koryta, que mostrou-se, no final de uma prazerosa leitura que durou apenas três dias, ser uma agradável exceção à regra.

O livro nos conta a história de Eric Shaw, um cinegrafista que, em um passado não tão remoto assim, já colheu os lucros da fama, mas que graças a um desentendimento com o diretor do último filme no qual estava trabalhando, viu sua carreira em Hollywood indo por água abaixo. Com o psicológico extremamente abalado, Shaw acaba sem emprego, sem perspectivas para o futuro e consequentemente, sem esposa. Ele não vê outra alternativa a não ser começar a trabalhar com as ferramentas que tem. Desse modo ele passa a fazer vídeos de pessoas já falecidas para homenageá-las em seus funerais. É em um desses funerais que ele conhece Alyssa Bredford, esposa de um empresário de sucesso. Alyssa o procura para que Shaw possa fazer o vídeo de despedida do seu sogro, que está a beira da morte. Para isso Shaw tem que ir até Indiana, para conhecer a cidade e explorar um pouco mais sobre o passado pouco conhecido do sogro de Alyssa, que inclui um mistério pouco usual de uma garrafa de água que está sempre gelada e que, segundo alguns moradores locais, tem estranhas capacidades curativas. Inicia-se então uma fascinante história de terror, repleta de viravoltas e descobertas intrigantes, digna realmente de mestres como Stephen King e Dean Koontz (autores que Koryta assumidamente já disse ter se inspirado).

Koryta mostrou-se bem feliz na escolha da temática de sua obra (você reconhece a capacidade de um autor de escrever uma boa história quando ele consegue falar sobre assuntos aparentemente bobos de maneira intrigante) e todos os elementos capazes de “moldar” uma boa história de terror estão presentes nela; a cidadezinha interiorana, o antigo morador que vai embora e faz fortuna de maneira misteriosa na cidade grande, reviravoltas inesperadas no decorrer da trama, personagens cativantes, fantasmas macabros e até o modo como o passado insiste em influenciar o presente, de maneira direta e cruel, sem poupar ninguém.

Com relação ao texto, ele flui de maneira agradável, sem atropelos na trama. O autor teve o cuidado de criar uma história simples, mas igualmente cativante, onde até mesmo o mais ínfimo dos personagens tem sua devida importância para o desenrolar da trama e cujas pontas no final se mostraram devidamente amarradas. As várias linhas de diálogos e os capítulos medianos (nem tão longos mas também nem tão curtos) dão uma sensação agradável de fluidez no texto de Koryta, que justamente por não se mostrar tão pretensioso  cumpre o papel que se dispôs a cumprir, que é apresentar uma história de terror capaz de prender o leitor da primeira até a última página. Apesar de parecer ser inicialmente apresentada de maneira lenta, a narrativa não é de maneira alguma entediante e até mesmo os detalhes estão ali cumprindo uma função específica, a de entreter e divertir, construindo a tensão aos poucos, ao passo em que a história se encaminha para um final digno de nota, que tomarei o cuidado de não mencionar aqui para evitar spoilers.

Para quem gosta de obras do gênero, “Um Rio Muito Frio” é um dos poucos livros que realmente cumpre o que o promete e faz jus às melhores histórias de terror escritas por mestres como Koontz e King. Diversão (e sustos) garantida! Quem quiser garantir o seu exemplar pode fazê-lo diretamente pelo site da editora ou, se você tiver um kindle, a versão em ebook também já está disponível na amazon.com.br.

michaelSobre o autor: Michael Koryta (pronuncia-se “Ko-ree-ta”) é autor de 8 romances. Elogiado por autores de peso como Dean Koontz, Michael Connely e Stephen King, seu romance mais recente, “The Ridge” foi considerado como “um thriller arrepiante e sobrenatural, por uma estrela literária em ascensão” pelo Wall Street Journal. Investigador particular formado e ex repórter jornalistico, Koryta graduou-se pela Universidade de Indiana em justiça criminal. Seu trabalho já foi traduzido para mais de vinte idiomas e em 2008 ele foi homenageado com o prêmio Outstanding Young Alumni, pela Universidade de Indiana.

Edilton Nunes

Edilton Nunes

Graduado em Letras pela UEG (Universidade Estadual de Goiás), viciado em literatura de terror/suspense, amante incondicional de séries e Hq´s e fã de carteirinha do mestre Steve há pelo menos 20 anos.

More Posts - Website - Twitter

You can skip to the end and leave a response. Pinging is currently not allowed.

6 Responses to “Dica Literária da Semana: “Um Rio Muito Frio” – Michael Koryta”

  1. wagner disse:

    fiquei bastante curioso agora com a sua matéria!
    vou ver se corro atrás do meu exemplar.
    parabéns pelo site!
    é fantástico!
    abraços

  2. Edilton Nunes Edilton disse:

    que bom que gostou wagner. Pode ler o livro sem medo. É ótimo!

  3. Macali disse:

    Favor voltar com essa sessão de indicações. É uma das melhores do site. Abços.

  4. Chris disse:

    O livro realmente parece ser muito bom! Estou quase na metade e não consigo parar de ler.

  5. Muito instigante, estou à procura de novos autores de terror e este parece que promete. Já vai para minha lista. Só um toque, você escreveu poupar com l.

  6. Edilton Nunes Edilton disse:

    Corrigido. Grato pelo apontamento Ronaldo.

Deixe seu comentário