Livro da semana: “A Torre Negra: O Pistoleiro”

Título Original: The Dark Tower: The Gunslinger
Título Traduzido: A Torre Negra: O Pistoleiro
Ano de Publicação: 1982
Páginas: 224 (Edição de 2004 – Objetiva)
Data de Publicação nos EUA: 10/06/1982
Personagens: Roland Deschain, Jake Chambers, Walter O’Dim, Zoltan, Brown
Cidades da História: Tull

Resumo do livro 1 – O pistoleiro: (Atenção: Este resumo contém partes importantes do enredo – “Spoilers”)

“O homem de preto fugia pelo deserto, e o pistoleiro ia atrás…” Assim começa a aventura de Roland de Gilead em busca do seu “santo graal pessoal”, a “torre negra”. Roland esta no encalço do “homem de preto”, um misterioso feiticeiro, no qual ele acredita ter respostas que o ajudarão a chegar até a torre. No caminho Roland se depara com o colono Brown e o seu corvo falante Zoltan (que segundo Brown, se recusa a aprender o “pai nosso”). É para Brown que Roland conta a historia dos fatídicos acontecimentos na cidade de Tull.

Após contar a historia, Roland segue seu caminho em busca da torre, e em um posto de parada, a beira da morte, é salvo por um garoto Chamado Jake Chambers (Roland ainda não sabe, mas Jake fará parte do seu Ka-tet, em busca da torre negra). Jake e Roland seguem caminho, e nas montanhas encontram e enfrentam “os vagos mutantes” (criaturas irracionais de pele esverdeada e aparência monstruosa), e antes que pudessem atravessar as montanhas, Roland tem que fazer uma escolha crucial, entre seu mais novo companheiro de Ka, e A torre negra. Roland escolhe a torre, mas como o próprio Jake diz antes de sucumbir ao abismo: ” existem outros mundos além deste”.

O Pistoleiro alcança o Homem de Preto, e a confabulação final entre eles acontece em um golgota poeirento, repleto de ossos humanos, onde o Homem de Preto prevê o futuro de Roland nas cartas do Tarô. Após a longa confabulação Roland dorme, e quando acorda percebe que o homem de preto não passava de um monte de ossos, coberto por uma túnica preta. De algum modo dez anos haviam se passado, e as covas dos olhos do pistoleiro estavam mais profundas.

Ao final da tarde, Roland chega até uma praia deserta. Ali ele senta na areia e contempla o horizonte, imaginando, pensando no dia em que finalmente irá encontrar a torre negra.

Considerações

A primeira publicação de texto integral de “O pistoleiro” (The Gunslinger, no original) ocorreu em 1982, em forma de edição limitada, e somente em 1988 teve sua publicação em massa. A partir dai o livro foi relançado em vários formatos diferentes, incluindo os boxes que contem os outros volumes da serie. Em 2003 a versão original de “O pistoleiro” foi revisada pelo autor e algumas passagens foram acrescentadas, enquanto outras foram retiradas, mantendo assim o primeiro volume coerente com todos os outros.

“O Pistoleiro” é considerado por alguns como um livro relativamente “difícil de se ler”, já que o ritmo narrativo desse primeiro volume é completamente diferente dos outros. De cunho mais filosófico, o primeiro livro da série apresenta a face mais psicologica de um Roland obcecado pela sua Torre Negra, que deixa claro, desde o inicio, que passará por cima de tudo e de todos para alcançar seu objetivo. Nesse primeiro volume, de um ponto de vista Freudiano, Roland seria o equivalente ao ID, já que seu instinto enraizado na necessidade de alcançar sua tão cobiçada torre negra é quase inconsciente. É claro que Roland não se da conta disso, e em meio a esse processo deixará, muitas vezes, de lado, valores éticos, morais ou mesmo lógicos, tudo para satisfazer seu desejo irracional de chegar até a Torre Negra.

Curiosidades

  • A primeira versão de “O pistoleiro” tinha cerca de 9 mil palavras (135 paginas) a menos do que a versão finalizada, que foi revisada e lançada novamente em 2003. Nessa versão foram incluídos inúmeros outros detalhes (como o prefacio sobre a importância do numero 19 por exemplo) para que o romance ficasse mais consistente e condizente com os outros.
  • Stephen King levou 33 anos para concluir a serie, entre os anos de 1970 e 2003. A série só veio a ser lançada no brasil a partir do ano de 2004.
  • O próprio King cita no prefacio de “O pistoleiro”, que este é um livro realmente difícil de se ler.
  • Existem no livro (e em suas continuações) existem diversas referências à cultura pop contemporânea. “Halloween” e “O iluminado” são citados na pagina 206. “Guerra nas estrelas” e “A rosa purpura do Cairo” na página 207 de “O pistoleiro”.
  • Embora falando sobre os diferentes níveis do Khef, e como eles o afetam, Roland atribui a habilidade de ignorar a sede a um Manni de quinto nível. Isso coloca os Manni´s na primeira pagina da série na revisão feita por King, ao invés de no inicio de Mago e Vidro.
  • Na versão revisada King remove três linhas sobre como Roland tem combatido suas inúmeras batalhas durante sua vida, transformando-as em uma simples declaração, dizendo que “ele agora tem menos balas no cinturão.”
  • Roland e Brown trocam uma saudação diferente: “longos dias e belas noites” da presente na versão original.
  • Brown afirma ter avistado um homem pássaro (taheen) e que ele buscava um lugar chamado Algul Siento. Um lugar de suma importância no ultimo livro.
  • Ka é mencionado constantemente. Na versão original não era.
  • Apesar de recarregar suas armas com rapidez King diz que em vez de ter gasto vinte e cinco anos para dominar esta habilidade, Roland “passara mais de mil anos aprendendo este truque e outros.” Isso ressalta a ideia de que o mundo mudou, e Roland tem estado em sua busca por muito mais tempo do que o leitor suspeita.
  • O livro foi inspirado no poema épico Childe Roland à Torre Negra Chegou, de Robert Browning.
  • O livro foi dedicado ao falecido editor Ed Ferman.

Capas

Edilton Nunes

Edilton Nunes

Graduado em Letras pela UEG (Universidade Estadual de Goiás), viciado em literatura de terror/suspense, amante incondicional de séries e Hq´s e fã de carteirinha do mestre Steve há pelo menos 20 anos.

More Posts - Website - Twitter

You can skip to the end and leave a response. Pinging is currently not allowed.

6 Responses to “Livro da semana: “A Torre Negra: O Pistoleiro””

  1. Priscilla Rúbia disse:

    Ainda não li A Torre Negra exatamente pq achei a leitura difícil, chata, mas quero voltar a ler visto que ouço muita coisa boa sobre a série =)

  2. @cyberlivingdead disse:

    A Torre Negra não é exatamente uma leitura de difícil, mas como toda grande jornada pede que o leitor tenha paciência para dar cada passo. Pode apostar que a saga tem grandes momentos que fazem toda a história ser excelente!

  3. Edilton Nunes Edilton disse:

    Concordo plenamente. E ainda acho a torre a melhor série de livros que já li (depois de Harry Potter rsrs).

  4. Edilton Nunes Edilton disse:

    Inicialmente é realmente um pouco monótona, mas depois do primeiro livro as coisas melhoram consideravelmente Pri. Recomendo muito!

  5. RafaeL\\\' disse:

    por favor,alguém me de um incentivo pra eu ler essa serie!
    comprei o volume 1 e me decepcionei um pouco,comprei o 2 e simplesmente não tive vontade de ler !

  6. RafaeL\' disse:

    por favor,alguém me de um incentivo pra eu ler essa serie!
    comprei o volume 1 e me decepcionei um pouco,comprei o 2 e simplesmente não tive vontade de ler !

Deixe seu comentário